“Isso passa… é só até ganhar calo…”

Dor ao dar de mamar nunca é normal.

Este é um dos grandes mitos da amamentação. Lê mais sobre mitos da amamentação aqui. Passa-se frequentemente a ideia de que amamentar dói, “que é mesmo assim”, que há que esperar que “ganhe calo”…

De facto, embora seja um problema frequente, não deve ser desvalorizado, visto que é um dos principais motivos de desistência na amamentação nas primeiras semanas.

Mas então, o que é considerado normal?

Um ligeiro desconforto/sensibilidade durante os primeiros segundos da mamada e durante as primeiras semanas é normal.

E o que NÃO é considerado normal?

Dor intensa, que se prolonga durante a mamada ou que persiste entre mamadas não é normal. É sempre sinal de que algo não está bem e que deve ser avaliado. Feridas/fissuras no mamilo também devem levar a mãe a procurar ajuda tão breve quanto possível. Na maioria dos casos, deve-se a uma má pega/posicionamento do bebé na mama.

Quando as mães recorrem ao meu Acompanhamento na Amamentação referindo dor, o que verifico é que quase sempre há aspetos a otimizar e melhorar em termos de pega/posicionamento do bebé, mesmo quando referem que já outros profissionais (na Maternidade, etc) observaram e garantiram que tudo estava bem.

E depois, o parto!  Quanto mais intervencionado for um parto (cesariana, parto induzido, uso de ventosa…) em piores condições nasce o bebé para começar a mamar bem. 

Este tipo de intervenções no nascimento provocam, muitas vezes, pressões e tensões ao nível da zona da cabeça do bebé (occipital) de onde saem nervos importantes que vão enervar estruturas fundamentais na sucção.

É por isto que estes bebés têm mais risco de abrirem pouco a boca, terem tensões ao nível da mandíbula… e magoarem a mãe a mamar.

Mas às vezes a dor passa sozinha ao fim de algum tempo…

Verdade, às vezes passa. Mas a que preço? À custa de semanas de sofrimento da mãe desnecessário. Às vezes passa porque o bebé cresce e aprende a mamar cada vez melhor. Aliado a isto também a mãe aprende a ajustar melhor o bebé.

No entanto, não é correto dizer para esperar, “que isso passa”, até porque pode mesmo não passar e ocorrer um desmame antes porque a mãe não aguenta mais.

Sim, nós mães aguentamos muita coisa pelos nossos bebés, não é? Mas não é preciso estarmos a sofrer…

Uma profissional experiente pode ajudar a perceber qual é o problema e como melhorar, evitando semanas extra de dor.

Sofia Rocha – Enfermeira/CAM/Assessora de Lactação/Doula (Amamenta Viana do Castelo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *